Profissionais 4.0: o que esperar das Indústrias e do segmento da Moda?

Publicado por

28 de junho de 2021
Profissional 4.0 Indústria da moda
4 min

Apesar de ser tratado como o “profissional do futuro”, o conceito de profissional 4.0 designa uma realidade que já é presente em muitos países do mundo e cada vez mais utilizada no Brasil.

Diante dessa realidade, consequência da Indústria 4.0 (ou 4ª Revolução Industrial) e a maneira pela qual ela tem alterado significativamente nossa relação com a tecnologia e as informações, é natural que novas exigências e desafios se coloquem no caminho dos responsáveis por fazerem essa evolução se concretizar no país — os profissionais e os donos de indústria.

Mas, então, como adequar-se a essa nova realidade e ganhar destaque como profissional do “futuro”? A resposta é complexa e envolve, antes de mais nada, entender as bases da Indústria 4.0 e qual sua visão sobre a mão-de-obra para, então, sabermos quais as características indispensáveis dos novos profissionais.

Quer saber tudo sobre o assunto? Acompanhe a leitura:

Indústria 4.0 e suas características

É impossível falar nos profissionais 4.0 sem, antes, entendermos a que tipo de trabalho eles precisam se adequar, o que significa falar sobre a Indústria 4.0 e suas principais características.

Em nosso post exclusivo sobre a Indústria 4.0, debatemos em profundidade como a revolução tecnológica tem definido novos contornos para as etapas de produção dentro das indústrias, especialmente no que diz respeito aos setores produtivos.

De forma simplificada, a Indústria 4.0 é um novo tipo de produção que se apoia nas tecnologias digitais, na integração e na inteligência artificial (IA) para, por meio de conceitos como o Big Data e o IoT (internet das coisas), processar informações em grande escala e automatizar toda a produção industrial.

Isso significa que, por meio do investimento em softwares de gestão, otimização e processamento de dados, além de hardware como equipamentos e maquinário robustos, a Indústria 4.0 utiliza-se dos recursos tecnológicos e da capacidade das máquinas de aprenderem e estabelecerem conexões entre dados (inteligência artificial) para otimizar processos e torná-los mais efetivos.

Para sintetizar, algumas das principais características da Indústria 4.0 são:

  •  Automação em alto grau de processos e funções;
  • Uso da IA como base das operações e de processamento;
  • Incorporação da robótica industrial em maquinários, sensores e outras ferramentas;
  • Integração de dados na relação máquina-máquina, máquina-pessoa e pessoa-pessoa;
  • Digitalização;
  • Manufatura digital, por meio da criação de modelos e moldes em realidade virtual 3D e 4D.

Como visto, a Indústria 4.0 automatiza não somente os processos industriais, mas também a função e as relações de interação na cadeia produtiva.

A relação pessoa x máquina na Indústria 4.0

A modificação de processos na cadeia produtiva e das relações trabalhistas na Indústria 4.0 é um fato incontestável. A automação, porém, não significa o fim da participação humana na indústria, muito menos o fim dos cargos e funções como temos hoje.

Se a introdução da inteligência capaz de “pensar” como humanos pode parecer como um substituto às relações pessoa-pessoa, um outro conceito da Indústria 4.0 se mostra mais próximo da aproximação humana: os softwares.

O grande propósito da Indústria 4.0 é integrar — pessoas, máquinas, softwares, funções, setores e afins. Isso significa que as relações de trabalho devem seguir esse mindset integrado e cooperativo.

Nesse contexto o papel dos gestores é essencial, tendo em vista que a maioria desses softwares têm a finalidade de apresentar dados gerais sobre a produção a fim de otimizar ainda mais os processos que não dependem exclusivamente da inteligência artificial.

O resultado dessa necessidade de adaptação é o chamado “profissional do futuro”, ou profissional 4.0, sobre o qual você aprende acompanhando a leitura.

Profissional do “futuro”: o que é um profissional 4.0?

É considerado um profissional 4.0 aquele que entende os conceitos e possui as competências exigidas pela Indústria 4.0. Desde sempre, o mercado de trabalho, que é dinâmico, muda consideravelmente de tempos em tempos, fazendo com que os profissionais competentes que desejam destaque acabem por se conformar às novas regras.

O mesmo acontece com o profissional 4.0 que, apesar de ser, em princípio, um profissional do ramo da indústria, pode tornar-se alguém que trabalha nos mais diversos setores em um futuro não muito distante, o que representaria um avanço total da Revolução 4.0 para o setor produtivo, de distribuição e de serviços.

A velocidade em que as informações são geradas e compreendidas nessa nova etapa da Indústria exige do novo profissional algumas competências específicas, sendo a agilidade a principal delas.

Quais competências um profissional 4.0 precisa ter?

Como sabemos, a agilidade é um dos principais atributos que o profissional 4.0 precisa ter como diferencial competitivo, especialmente em se tratando das áreas industriais. Além disso, são características do profissional do futuro:

  • Atualização constante;
  • Flexibilidade;
  • Visão técnica;
  • Adaptabilidade;
  • Habilidade em diversos idiomas;
  • Tomada de decisões ágil.

Com essas características-base, o profissional consegue exercer suas funções de maneira satisfatória, ao passo em que se aproxima mais da automação e da internacionalização, grande objetivo da Indústria 4.0.

Moda 4.0: o que esperar do setor?

Como não poderia deixar de ser, o blog Audaces, especializado na Indústria da Moda, traz informações sobre os profissionais da moda 4.0, conceito definido pela junção da Indústria 4.0 com as características do setor da Moda, que é muito diferente dos demais e possui formas de atuação diferentes.

Isso porque, muito antes de se falar em integração de dados, a indústria da moda já operava de forma parecida — o trabalho de estilo passado para a construção de moldes e fichas técnicas, para então ser confeccionado e distribuído.

Mesmo com essa integração inata, a Moda 4.0 também exige de seus profissionais todas as características abordadas anteriormente, além, claro, da capacidade de manterem-se atualizados sobre as tendências.

Isso fez com que surgissem tanto novos processos quanto novos profissionais, dando origem a segmentos como a Criação 4.0, Modelagem 4.0, Confecção 4.0 — áreas que exigem atuação de profissionais 4.0.

Exploraremos, em uma série de posts, como cada uma delas tem se adequado à nova realidade da indústria e os desafios que ainda devem superar. Acompanhe o blog Audaces e saiba mais sobre tecnologia e gestão!

Receba todas as novidades no seu e-mail assinando a nossa newsletter!